Archive for the ‘Na prática’ Category

O Impressões Verdes se mudou!

Aos meus leitores que acompanham este blog a novidade é que estamos de casa nova. Com a chegada da entrega da monografia o projeto Impressões Verdes tomou novo rumo e agora está no endereço oficial www.impressoesverdes.com.br

Com conteúdo sendo reformulado aos poucos o blog ainda está em versão beta e captando colaboradores que queiram participar ativamente do projeto.

Espero vocês por lá!

Anúncios

HORA DA PAUSA: Meditação

E nem só de trabalho vive o homem já dizia minha avozinha, mas é real. Pelo menos para mim.

Sufocado entre prazos apertados, caixa de email lotada, clientes ligando toda hora, projetos para entregar e tudo isso que todo mundo já conhece bem, chega a hora que é LER (não é leitura, é a dor mesmo) ou uma pausa. Eis o momento de parar e se desligar.

Não que eu seja um adepto da meditação na posiçao de Lótus (ainda!) mas como um bom ansioso aprendi na marra a importância de respirar mais profundamente e fazer umas pausas para limpar a mente. Os efeitos de relaxar e respirar são duradouros e efetivos.

No meu caso ajuda bastante quando rola aquela travada. Minha saída é tirar o máximo de acessórios e roupas possível – ok, no trabalho tire só os sapatos! – sentar relaxado, começar a respirar lentamente e pensar na própria respiração. Fico assim por uns 15-20 minutos e quando percebo estou com o foco mais claro. É a liberdade dos pensamentos para aqueles momentos de bloqueio criativo e ótimo para ter idéias e resolver problemas difíceis.

 

Envelopes da Cosac Naify com sobras de gráfica

No final do ano passado a Cosac Naify lançou uma linha de envelopes de presente feitos a partir de folhas de teste de gráficas. Resultado super simples e bem legal.

Os novos envelopes de presente da Cosac Naify acabam de chegar. Feitos a partir de “lixo gráfico”, os envelopes são estampados com imagens e cores de títulos da casa. Para confeccioná-los, nossas produtoras passaram três meses coletando o que, na indústria gráfica, chamamos de “malas”: papéis descartados que, no processo de impressão, são utilizados para acerto de cores. As folhas são geralmente passadas na máquina mais de uma vez, o que ajuda a estabilizar a carga das cores antes de imprimir por definitivo todo o restante do livro. Por isso nenhum envelope fica igual ao outro. Além de estarem disponíveis no showroom da editora (como parte da compra de livros), também serão enviados aos clientes que comprarem pela Loja virtual, a partir do dia 20 de dezembro.

Via Cosac Naify

IV Edição do Curso de Ecodesign com Base nas Normas ISO 14.000

Foi com o maior alegria que recebi o email da professora Suzana Gueiros avisando que a IV edição do curso de Ecodesign com base nas normas ISO 14.000 já estão abertas.

Quem não se lembra, eu publiquei um post no ano passando falando sobre o curso e a minha participação (sim eu participe!). Até tentei diariamente publicar o conteúdo mas como foi muito intenso – o dia inteirinho – não dei conta do recado e fiquei só pelo twitter mesmo. Chegava em casa e ficava lendo o material e caia na cama para estar de pé cedinho para mais aulas.

Continue lendo

Diretrizes para design gráfico sustentável, por pelo Nelson Smythe.

Mais umas boas dicas do mestre em design pela UFPR, Nelson Smythe Jr. Ele é consultor em design gráfico e sustentabilidade e chefia a Aurus, uma agência focada na questão ambiental.

Após as valiosas dicas vocês podem conferir o trabalho dele no site do escritório.

 PROCESSOS 
 Pré-impressão Utilizar CTP, as chapas são gravadas eletronicamente, eliminando os fotolitos e os decorrentes resíduos tóxicos da sua produção.
 Impressão Utilizar offset waterless (elimina a solução umidificadora) reduz as emissões totais de VOCs.
 PAPEL
 Gramatura Usar papéis de menor gramatura. Selecionar papel sem revestimento sempre que possível.
 Branqueamento Não utilizar papéis branqueados com cloro. Especifique papéis TFC ou ECF.
 Certificação FSC Se usar papel virgem, considerar um que tenha certificação FSC.
 Reciclados Escolher papéis que contenham o máximo de conteúdo reciclado pós-consumo (PCW) – Ideal 100% PCW.
 Tamanho Projetar num formato menor e com menos páginas, se for o caso; economizando papel, tinta, água, diminuindo as emissões de carbono na distribuição e ainda custos de postagem. Considerar os formatos levando em conta os tamanhos industriais das resmas, para que o aproveitamento seja máximo e assim minimizada a quantidade de aparas.
 TINTAS
 Geral Usar o mínimo de cores e tintas, diminuindo custos, consumo de líquidos para limpar as máquinas de impressão e resíduos. Minimizar a cobertura de tinta torna o produto mais fácil para reciclar (o processo de de-ink é facilitado).
 Eco-tintas Empregar tintas à base de óleos vegetais (com baixas emissões de VOCs). Especificar àquelas que possuem base vegetal maior, se não conseguir usar tintas livres de óleos minerais, procurar aquelas com menos de 10% de VOCs.
 ACABAMENTOS Especificar vernizes e coberturas à base d’água (com baixa emissão de VOCs) ao invés de coberturas UV e laminações. Evitar o uso de PVC e outros materiais não recicláveis nas capas e em embalagens. Evitar revestimentos UV, laminações, termografia e hotstamping, eles impedem ou dificultam a reciclagem.
 LOCALIZAÇÃO Especificar recursos locais, fornecedores como gráficas e produtoras e distribuidores de papel que estejam localizadas o mais próximo possível do usuário final, facilitando a distribuição, reduzindo os impactos de transporte e valorizando a mão de obra local.

Enfim, CONAR! Regulamentação da publicidade pelo fim da banalização.

Fui surpreendido pela citação no blog SustentaNews em que comenta a nova regulamentação do CONAR sobre o uso da sustentabilidade na publicidade. Até que enfim, né CONAR?!

É só ligar a TV e abrir qualquer revista para ver que o termo virou quase um bordão para todo mundo que quer vender mais e mostrar que virou verde.

Estou escrevendo este post e neste exato momento passa na TV uma propaganda dos pneus verdes. PNEUS VERDES??? Não eram os pneus uma das maiores fontes de poluição global? A assinatura do comercial “Mais pneu para voce mais estrada para o planeta”, deixa um cheiro forte de borracha queimada no ar? E a nova empresa de petróleo verde que garante que a extração é sustentável com o barril de petróleo envolto em folhas? E a propaganda de motos que fala “Quanto mais você andam, mais você proteje o meio ambiente”. AAAHHHNNNN????

Concordo que quanto mais ambientais corretos sejam os produtos melhor para a sociedade mas a publicidade sempre ligada as transformações sociais soube bem aproveitar-se da questão ambiental para iludir e incentivar o consumo. Aí que entra o papel importante do CONAR: dar uma segurada nas afirmações muitas vezes ilusórias e sem comprovação e não banalizar o termos sustentabilidade.

Continue lendo

Repórter Rio: Jovens Ambientalistas

Domingo passado eu e mais quatro jovens ambientalistas fomos convidados pelo Rio Repórter da TV Brasil para debater e mostrar o novo olhar de quem atualmente preservar o meio ambiente.

O encontro aconteceu nos jardins do MAM e o bate-papo teve como temas a questão da água, consumo consciente, o código florestal, comunicação social, permacultura e outros assuntos.

Tudo bem que eu fui creditado como Produtor de Instrumentos Reciclados e eu sou Comunicador, mas se deveu ao fato de puxarem o Ciclo Natural, projeto de arte-educação que faço parte, ao gancho jornalístico, mas tá valendo! 🙂