Praticando ecodesign na Granado Pharmácias


Que a Granado é uma empresa de tradição e após o reposicionamento está cada vez mais na cultura brasileira, todo mundo já sabe. O que pouca gente ainda não sabe é que trabalhar aqui é uma grande oportunidade para por em prática toda a teoria que leio e pesquiso sobre ecodesign e sustentabilidade.

Bom, para quem não me conhece vale uma apresentação rápida. Desde 2007 estou responsável por gerenciar o departamento de arte da Granado criando as  linhas de comunicação utilizadas nas campanhas e anúncios, peças gráficas e impressos em geral.

Passei a publicar minhas experiências gráficas aqui pelo blog – ok, demoro um pouco pra postar mas é sempre com o maior carinho! – com o intuito de tentar fazer da profissão de diretor de arte (que muitas vezes me dá uma sensação de vazio) em uma ferramenta prática, e ainda servir de exemplo para profissionais que acham impossível aliar preservação ambiental e impressos. Afinal, temos responsabilidade por tudo aquilo que produzimos.

Na dia-a-dia as coisas não funcionam do modo ideal mas cabe ao profissional saber rebolar e partir para a ação. Mas como assim?

Muitas vezes é fazendo um trabalho “silencioso” incorporado ao “design habitual”. Para isso criei uma espécie de checklist que acabo usando em todos os trabalhos impressos que faço. Adianto que muitos clientes baseiam-se em custos, o que torna um pouco difícil convencer o retorno que podem ter mas é conteúdo para outro post.

Nos projetos

– Utilizar papeis reciclados e certificados: praticamente todos os papéis offset em escala industrial utilizados pelas gráficas são de origem certificada.

– Redução e padronização de formatos, gramaturas e número de páginas :  com isso ganhamos em custo, visto que o aproveitamento do papel, transporte e armazenamento são otimizados.

– Trabalhar com gráficas certificadas: só orçando para ver que a diferença no custo não é grande. Muitas empresas já estão adotando as certificações como algo primário e não um diferencial que encarece os projetos.

– Trabalhar com tintas vegetais e pesquisar a origem dos fornecedores: os grandes fabricantes de tinta utilizam uma percentagem de óleo vegetal na composição mas a questão ainda é um pouco nebulosa pois não existem tintas 100% vegetais.

– Abolir o uso de vernizes UV: não condiz com a imagem da empresa e são uma grande fonte poluidora pela alta taxa de emissão de compostos voláteis.

– Diminuir o número de acabamentos desnecessários,substituindo-os por opções baseadas nos 3 R´s

– Conjugar trabalhos diversos e planejar as tiragens de acordo com o uso dos impressos: assim consegue-se reduzir o custo e uso de suprimentos para acertos de cor, limpeza de máquinas, criação de clichês e chapas, entre outros.

– Evitar ao máximo impressões para revisão e apresentação de layouts, utilizando email e apresentações online.

No escritório

– Reutilizar e aproveitar ao máximo folhas de papel: tenho uma gaveta específica para as folhas usadas que viram papel de anotação, blocos, etc.

– Envio de arquivos digitalmente por meio de FTP´s e depositórios online

– Uso de pen drives para transporte de informações: com isso evita-se o uso de cd´s e dvd´s.

– Abolir uso de grampeadores e usar grampos reutilizáveis: o grampo metálico é um entrave para a reciclagem de papéis e pense bem, para que usar um pedaço de metal que não tem reutilização e irá pra o lixo em breve?

– Uso de copos retornáveis: envolve uma questão de análise de ciclo de vida (ACV ou LCA) mas para tomar água e café todo dia, vale a pena lavar só com água sem sabão e ainda não gasta copinhos de plástico

– Uso de lapiseira e lápis: não sei bem ao certo o impacto da caneta e do lápis, mas imagino que o grafite seja menos nocivo que a tinta de caneta e facilite a reciclagem. A madeira com certeza é menos poluente que o plástico e ainda acredito que um lapiseira possa ser mais re-utilizada do que uma caneta.

– Desligar o monitor quando for embora: pode parecer algo bobo mas as vezes, quando fico até mais tarde, passou por todas as mesas e 70% das pessoas esquecem deste detalhe no final do expediente.

– E claro,  tentar conscientizar os meus colegas de trabalho sobre a importância de pensar o mundo como nossa casa e tornar nossa passagem pela Terra como algo duradouro para as futuras gerações.

Apesar de listar só alguma ações, há diversas outras maneiras podemos atuar desde da hora de acordar até quando estamos bebendo com os amigos num bar. Cabe a cada um achar o seu jeito e bola para frente.

Anúncios

2 responses to this post.

  1. Posted by Giovanna Fernandes on 22/08/2011 at 02:02

    olá! Muito bacanas as iniciativas, parabéns. Queria saber se a empresa (Granado) apoía de alguma forma essas ações.

    abraco

    Giovanna

    Responder

    • Giovanna,
      Estive gerenciando o departamento de arte da Granado por 3 anos e 1/2 e implementava técnicas nos impressos que fazia e divulgava algumas formas de reduzir o impacto ambiental. Como toda grande empresa é difícil a gente conseguir a prática perfeita, até porque não existe mas posso lhe dizer que na parte de impressos eu fazia o que podia.

      Quanto aos outros setores eu não posso dizer pois não trabalho mais lá e não vi algo efetivo ser feito. Tendo alguma sugestão, o pessoal do MKT lá é ótimo e sempre receptivo à ideias.

      Bjs.

      Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: