O Impressões Verdes se mudou!

Aos meus leitores que acompanham este blog a novidade é que estamos de casa nova. Com a chegada da entrega da monografia o projeto Impressões Verdes tomou novo rumo e agora está no endereço oficial www.impressoesverdes.com.br

Com conteúdo sendo reformulado aos poucos o blog ainda está em versão beta e captando colaboradores que queiram participar ativamente do projeto.

Espero vocês por lá!

HORA DA PAUSA: Meditação

E nem só de trabalho vive o homem já dizia minha avozinha, mas é real. Pelo menos para mim.

Sufocado entre prazos apertados, caixa de email lotada, clientes ligando toda hora, projetos para entregar e tudo isso que todo mundo já conhece bem, chega a hora que é LER (não é leitura, é a dor mesmo) ou uma pausa. Eis o momento de parar e se desligar.

Não que eu seja um adepto da meditação na posiçao de Lótus (ainda!) mas como um bom ansioso aprendi na marra a importância de respirar mais profundamente e fazer umas pausas para limpar a mente. Os efeitos de relaxar e respirar são duradouros e efetivos.

No meu caso ajuda bastante quando rola aquela travada. Minha saída é tirar o máximo de acessórios e roupas possível – ok, no trabalho tire só os sapatos! – sentar relaxado, começar a respirar lentamente e pensar na própria respiração. Fico assim por uns 15-20 minutos e quando percebo estou com o foco mais claro. É a liberdade dos pensamentos para aqueles momentos de bloqueio criativo e ótimo para ter idéias e resolver problemas difíceis.

 

Caixas de papelão mais do que sustentáveis

Parece uma ideia um pouco improvável, mas ela existe sim e há mais de 30 anos. A empresa Caixa de Papelão Deise trabalha no reaproveitamento de caixas de papelão usadas ou seminovas, como também são conhecidas. Ao invés de reciclar as caixas de papelão – processo que acaba utilizando produtos químicos e menos sustentáveis – a Caixa de Papelão Deise compra, seleciona, limpa e inverte as caixas para que possam ser utilizadas novamente. Este processo é feito com produtos que não agridem o meio ambiente, como por exemplo, a cola vegetal.

Continue lendo

Programa Ecoando: publicidade e sustentabilidade na Rádio UNESP Bauru

Demorou mais saiu! No final da semana passada recebi do editor do Ecoando o arquivo com o programa inteirinho e repasso aqui para vocês.

Um amigo que estava ouvindo aqui no escritório me falou na hora “Você não acha engraçado ouir a própria voz? Não te incomoda?”. Na verdade já incomodou mas hoej em dia, acostumei e o bom de se ouvir é para ver os nossos vícios de linguagens e ficar atento para corrigir. E claro, analisar nosso discurso pois ao vivo é mais difícil.

Espero que gostem e aguardo críticas! Quem quiser baixar o programa pode clicar aqui no link para o 4shared.

 

Lápis feitos com lixo e restos

Já usei lápis feito de jornal e curti bastante apesar da textura e dureza do grafite não ter sido uma das melhores, mas esse lápis feito pela designer recém-graduada Ariane Prim, do Royal College of Art, em Londres, Inglaterra, pode ser legal! Continue lendo

Palestra sobre design gráfico sustentável na UFRJ

E a IV edição do curso de Ecodesign com base nas normas ISO 14.000 está chegando e a novidade é que vou falar sobre design gráfico sustentável.

A palestra que acontece no dia 02/08 às 16:30 terá 1 hora de duração e vai abordar temas como planejamento de comunicação, as etapas da criação de um impresso analisando as necessidades do projeto, os diversos tipos de acabamentos e técnicas para a redução da pegada de carbono. No fim deve rolar uma dinâmica de grupo para facilitar a assimilação do tema.

Ainda há vagas e as inscrições continuam abertas. Continue lendo

Envelopes da Cosac Naify com sobras de gráfica

No final do ano passado a Cosac Naify lançou uma linha de envelopes de presente feitos a partir de folhas de teste de gráficas. Resultado super simples e bem legal.

Os novos envelopes de presente da Cosac Naify acabam de chegar. Feitos a partir de “lixo gráfico”, os envelopes são estampados com imagens e cores de títulos da casa. Para confeccioná-los, nossas produtoras passaram três meses coletando o que, na indústria gráfica, chamamos de “malas”: papéis descartados que, no processo de impressão, são utilizados para acerto de cores. As folhas são geralmente passadas na máquina mais de uma vez, o que ajuda a estabilizar a carga das cores antes de imprimir por definitivo todo o restante do livro. Por isso nenhum envelope fica igual ao outro. Além de estarem disponíveis no showroom da editora (como parte da compra de livros), também serão enviados aos clientes que comprarem pela Loja virtual, a partir do dia 20 de dezembro.

Via Cosac Naify

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.